As 3 Fases Ministeriais

06/08/2020

Os ministérios cristãos bem sucedidos levam anos para se desenvolver. Nada é conquistado da noite para o dia. Deus capacita o seu povo a crescer à medida que segue em fidelidade. Passo a passo, dia a dia, os servos fiéis vão adquirindo discernimento e sabedoria até alcançarem um nível de maturidade para conquistas maiores.

Se você está no caminho certo saiba que existe um intervalo entre "chamado e triunfo ministerial". Saiba que, para o ETERNO Deus, "caminho e destino" têm um peso equivalente de importância. O sucesso no ministério não está só no final, ele acontece no percurso, a cada passo certo em direção ao alvo indicado por Deus. 

Seja qual for o seu chamado, saiba que todo ministério passa por 3 fases distintas.

  • A fase da descoberta e da adequação
  • A fase do crescimento e da evolução
  • A fase da autoridade e da continuidade

Fase 1 - A fase da Descoberta e da Adequação

Nessa fase o crente começa a discernir o chamado de Deus e procurar se adequar ao propósito divino. As participações em diversas oportunidades de trabalho ajudam o servo iniciante a descobrir o chamado de Deus. É uma temporada em que o servo de Deus vive situações diferentes, descobrindo seus dons, suas verdadeiras paixões e aptidões. Esse é o momento que poderá definir o rumo de sua vida ministerial. Pessoas certas passam a ocupar os lugares certos.

Quem é fiel no mínimo, Deus costuma recompensar com abundância. Mt 25:23

Deus não mede o sucesso da maneira que faz o homem.

O trabalho que você está fazendo hoje pode ser considerado pequeno, anônimo ou totalmente ignorado pelos homens, porém, o seu sucesso está relacionado com sua perseverança em obedecer ao chamado divino, não com os "likes" das pessoas ao seu redor.

O que fará com que você continue em frente? A sua fidelidade a Deus diante das pequenas coisas.

Mateus 25.23 - Disse-lhe o seu senhor: Muito bem, servo bom e fiel; sobre o pouco foste fiel, sobre o muito te colocarei.

Nunca esqueça:

  • O chamado divino aponta o tipo de trabalho que temos autoridade para conquistar.
  • A visão torna-se mais ampla à medida que avançamos. Fl 3:14

Sugestões Pastorais:

(1) Viva além de si mesmo, aproveitando bem as oportunidades apresentadas na igreja, explorando e experimentando amplamente a diversidade de trabalhos e de ministérios na igreja.

(2) Ao discernir o chamado ministerial, sirva a Deus com todo o seu potencial e boa vontade. Valorize o seu chamado. Ele é mais importante do que tudo nesta terra. Envolva-se, participe, viva intensamente a sua vocação ministerial. Cumpra a sua missão com entusiasmo, dedicação e fé.

Fase 2 - A fase do crescimento e da Evolução

Depois de vivenciar diferentes situações e atravessar pequenas e grandes dificuldades, o servo de Deus não é mais um neófito, mas alguém que conhece o campo, as dificuldades e as possibilidades, os agravantes e os atenuantes do ministério. É capaz de assumir responsabilidades maiores, cultivar uma rede de relacionamentos saudáveis e liderar outros cristãos.

Nessa Fase os desafios são maiores e as decisões são mais difíceis, mas é nesta fase que deve acontecer o crescimento pessoal e uma extraordinária aceleração ministerial.

Às vezes o ministério acelera por algum tempo, mas o seu progresso não tem continuidade e o crente não consegue atingir a fase seguinte.

Se o ministério estagnou é porque chegou o momento de desenvolver serviços inovadores, cuja tônica seja reestruturar, reinventar, renovar, efetuar mudanças positivas para continuar crescendo.

Primeiro é necessário identificar o que pode ser melhorado ou eliminado no ministério.

Nem se deita vinho novo em odres velhos; do contrário se rebentam, derrama-se o vinho, e os odres se perdem; mas deita-se vinho novo em odres novos, e assim ambos se conservam. Mt 9:17

Às vezes é preciso mudar quase tudo, das estruturas aos comportamentos, do planejamento aos serviços, das ideias às pessoas que compõem um ministério.

Sugestão Pastoral:

  • Não seja acomodado com a experiência adquirida e com as conquistas alcançadas até aqui;
  • Tenha um espírito de renovação contínua; estabeleça novas metas, amplie seus relacionamentos, suas habilidades e pontos fortes a fim de promover a expansão do Reino de Deus com todo o seu potencial e dedicação.

A Fase 3 - A fase da autoridade e continuidade

Essa é a fase da grandeza ministerial, onde há edificação real e realização pessoal, onde todos percebem não somente o seu crescimento, mas a confirmação de seu chamado, de sua autoridade espiritual e do seu domínio territorial. Todos reconhecem e respeitam o seu ministério.

Nessa fase há trabalhos mais complexos e difíceis. Se alguém tentar fazer tudo sozinho será sobrecarregado e fadará ao fracasso. Para dar continuidade ao propósito divino será preciso:

  • Agregar colaboradores em potencial com expressiva paixão ministerial;
  • Deixar que os colaboradores talentosos conquistem o melhor trabalho possível.

Quando o líder de ministério volta sua atenção para o sucesso de seus colaboradores, acaba conseguindo grandes aliados e um ótimo desempenho ministerial. Na verdade a grandeza de um líder deve está no brilho de sua equipe.

Sugestões Pastorais:

(1) Não fique extasiado com a grandeza ministerial. É preciso transformar a experiência adquirida em Potencial Multiplicador, porque a vida ministerial segue em novos ciclos contínuos. É possível que o sucesso maior nesta fase seja por intermédio de outros.

(2) Apresente a visão ministerial e motive os outros a realizá-la. Selecione pessoas capacitadas para sua equipe, apresente a visão ministerial, e deixe-as fazer o seu trabalho. Dedique-se especialmente aquilo que os outros não conseguem fazer.

E Depois?

O que acontece quando chegamos ao topo do sucesso e as forças não permitem uma nova jornada? Bem, neste caso, chegou o momento de entregar o cajado a outro servo, semelhantemente ungido, que esteja disposto a dar mais de si a DEUS, seguindo a mesma visão, fazendo valer a pena o seu chamado ministerial.

Em todo percurso do Caminho Ministerial apreciamos as conquistas e louvamos a Deus pelas vitórias, mas chegará o dia em que iremos de fato interceder pelo triunfo daqueles que darão continuidade ao nosso trabalho na Seara de Deus.

O nosso desejo é que cada membro da igreja saia da plateia e entre em cena enquanto é dia, enquanto é possível trabalhar.

O nosso desejo e oração é que cada discípulo de Jesus Cristo perceba as oportunidades oferecidas na igreja e possa abraçá-las com todo potencial e dedicação; que cada um entenda que não há nada melhor do que servir a Deus no centro de Sua vontade.

Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor. I Co 15:58.