Carta Aberta aos Itapajeenses

30/06/2020


Itapajé - "In varietate concordia" (Unida na Diversidade).

As eleições  aproximam-se e a maneira de interpretar a vida passa por completo revisionismo diante das crises. Os itapajeenses, mesmo sobrecarregados, cansados e decepcionados com o sistema vigente, continuam com grandes expectativas. O povo aguarda uma liderança séria, honesta, competente, vocacionada, trabalhadora e altruísta.

Vivemos um tempo singular, marcado por um mundo em transformação constante que desafia a liderança política itapajeense a não se tornar ultrapassada e impotente diante da nova realidade. É preciso acompanhar o processo de mudança global, com visão estratégica, compreensão das necessidades emergentes e apresentação de respostas e soluções que resolvam positivamente os problemas essenciais de nossa terra. Mas, a realidade é que existe um enorme vácuo entre a liderança comum de nossa cidade e os desafios do município:

  • O primeiro grande desafio de nossa liderança política é aprender a diagnosticar e interpretar corretamente as características da situação, no todo e em parte;
  • O segundo grande desafio é oferecer o tipo de resposta adequada e satisfatória, capaz de solucionar os problemas;
  • O terceiro grande desafio é perceber as aspirações dos itapajeenses e satisfazê-las em paralelo com o alcance das metas a serem conquistadas.

Outra dura realidade em Itapajé é a dificuldade em identificar um "ponto neutro", de pacificação política, em uma sociedade movida emocionalmente por forças fragmentadoras, onde cores, números e "pancadões" direcionam a opinião pública e dispensam os projetos de governo. Tudo isso precisa mudar.

Se não avançarmos na mudança de nossa mentalidade política ficaremos tão ultrapassados que será difícil prevê a possibilidade de recuperação.

Vivemos um tempo de crise e carente de grandes líderes. Agora imagine uma pessoa, até então anônima, que decide deixar de ser uma simples espectadora da história, sair da plateia e entrar em cena, com coragem e bravura. Uma pessoa de fé que não deixa a oportunidade passar, que traz no âmago mais profundo de sua vida: preparo, padrão, paixão e poder; alguém simples, mas capaz de influenciar vidas, motivar grupos, vencer limites e superar limitações, conquistar espaço, deixar um grande exemplo e um legado extraordinário aos seus seguidores. Será que estou falando com essa pessoa?

Reconheço que ser protagonista de um momento histórico é um ato que exige muito esforço, que ultrapassa o comum, que supera o ordinário porque há um longo caminho de pedras e de espinhos que desafia as habilidades dos melhores líderes e que precisa ser vencido com dedicação, sabedoria, paciência e colaboração. O bom líder entende que há problemas que superam as suas competências, recursos e forças. Entretanto, ele é sabedor que a sua potencialidade é multiplicada quando faz parte de uma equipe vitoriosa.

O sucesso de um líder é o brilho de sua equipe.

O que é preciso fazer?

Entendo que desejar um ideal de respeito, não violência, entendimento mútuo e solidariedade em prol do crescimento de nossa cidade é, com certeza, um dos pilares de um bem maior; que os preconceitos e as paixões partidárias, dentre outras "imagens negativas" sejam suplantadas pelo desejo ardente de contribuir de forma significativa para o desenvolvimento integral de nossa cidade; que seja o propósito de nossa liderança política, deixar uma grandeza aos nossos filhos e à geração futura: uma cidade próspera e prazerosa de se viver.

Itapajé precisa crescer. Crescimento não é superioridade, mas o desenvolvimento natural de um município bem administrado.

Entendo que é necessário repensar a construção histórica e política de nossa terra e de dar a ela uma face mais empreendedora, mais dinâmica, abraçando modelos melhores de gestão e valores diferentes daqueles seguidos até aqui.

Entendo que o amor a esta cidade e o compromisso de trabalhar por ela são virtudes primazes necessárias para o enfrentamento de nossos reais desafios, em vez de insistirmos numa militância ideológica fracassada, que gera falsas expectativas, divide e enfraquece o potencial de nosso município.

Entendo que o cidadão vocacionado para a vida pública só pode ser um instrumento de bênção para a sociedade itapajeense se, paralelamente ao seu chamado público, apresentar quatro qualidades indispensáveis:

1- Integridade - Antes de tudo a decência e a honestidade que constituem o exato contrário da corrupção ativa ou passiva;

2- Competência - Conhecimento profundo das formas, métodos e práticas políticas, demonstrando capacidade de realizar de forma correta um projeto político para o bem comum;

3- Propósito Vocacional - Acima de qualquer vantagem pessoal, o líder político deve estar visivelmente comprometido com o seu propósito vocacional: promover o desenvolvimento da cidade e o bem do povo.

4-Conservadorismo - Defender a manutenção das instituições sociais tradicionais no contexto da cultura e da civilização, valorizando a vida, a família e a pátria, garantindo os direitos naturais dos indivíduos, assim como a liberdade de culto.

Por último, entendo que esta simples reflexão é o pensamento de muitos cidadãos de bem, jovens e adultos, que professam a fé cristã (católicos e evangélicos) e que sonham com um novo tempo, onde possamos ter novos líderes para uma nova realidade.

Diante do exposto, acredito que chegou o momento dos itapajeenses, líderes e liderados, unirem seus esforços em favor da ordem e do progresso do município, superando diferenças secundárias, suplantando as variadas preferências partidárias por corações abertos e mãos estendidas, como características daqueles que estão dispostos a contribuir pelo bem comum de um povo desejoso de conhecer e de participar dos planos de Deus para esta terra.

Que Deus nos abençoe nesta Missão! Amém!

Seu conservo,

Denis Frota

É completamente ilógico e profundamente trágico conhecer o Caminho e continuar perdido.