Deus, Ética e Pós-modernidade

18/08/2020

Deus, Ética e Pós-modernidade.

Todo ser humano mentalmente saudável tem a habilidade de observar e de avaliar de maneira equilibrada uma determinada situação, no sentido de discernir, fazer separação, avaliar e tirar conclusões para formar uma opinião ou juízo crítico. Esse tipo de julgamento é importante para o ser humano e para a sociedade. Entretanto, uma admoestação é fundamental:

Não compete ao homem julgar o que é de competência exclusiva de Deus, ou seja, não compete ao homem julgar o que o Supremo Juiz e Legislador já determinou em Sua Lei (Sagradas Escrituras).

Vivemos tempos difíceis, onde o pecado é tolerado e até aplaudido pela maioria, mas a denúncia do mesmo é interpretada como ofensa, discriminação e invasão dos direitos humanos. Mostrar a Lei de Deus em nossa geração é coisa de "fundamentalista religioso".

A triste realidade é que, diante da multiplicação da iniquidade, dia a dia temos provocado alterações em nossa consciência moral, tentando calar o árbitro, o ponto fixo de nossa moralidade, sem nos apercebermos que estamos, gradativamente, dessensibilizando a nossa consciência moral, modulando a nossa mentalidade ao espírito da Besta.

Entendo que a Ética não pode acompanhar a maré dos modismos sociais. Por quê? Porque as normas sociais se submetem à evolução do tempo. O absurdo de hoje pode ser a moda ou a norma de amanhã. Essas evoluções cíclicas impedem a formulação de qualquer padrão social absoluto por meio do qual o homem possa estabelecer um modelo de comportamento.

A formação de uma boa consciência moral não é possível sem a existência de um padrão ético absoluto, imutável, atemporal, imune às concessões governamentais e aos modismos de cada geração. Somente a Bíblia Sagrada é capaz de nortear todos os homens em todas as épocas e culturas.

A Bíblia revela a mente do Criador à humanidade: sua lei, graça e juízo sobre as questões humanas, sustentando princípios éticos ao longo dos séculos e gerações. Sendo assim, a Palavra de Deus precisa ecoar sobre o caos deste mundo tenebroso, iluminando, libertando e restaurando vidas. Se os santos calarem, o inferno será ouvido e os horrores de um mundo decadente assumirão proporções agonizantes.

Há uma guerra espiritual em curso. Os poderosos desta era querem tirar Deus de nossa cultura, tradição, educação, leis e sociedade. O sistema operante quer formar uma sociedade sem Deus e anti-Deus. Saiba, porém, que o pecado pode ser aceito pela sociedade, institucionalizado por leis humanas e incentivado por organizações globalistas e celebridades internacionais, mas jamais será tolerado por Deus. Isso explica o porquê da primeira expressão do evangelho: "Arrependei-vos" (Mc 1:15).

Se o homem, voluntariamente e continuamente insistir em desprezar a Lei de Deus, estará resistindo ao Espírito Santo e dessensibilizando a sua consciência moral, podendo esse pecador impenitente chegar a um estado mental reprovável, de endurecimento mental irreversível, de um coração fechado ao arrependimento... vivenciando uma desgraçada condição de juízo diante de Deus. (At 7:51; Ef 4:30; 1 Tm 1:19;4:1; 2 Tm 3:8; Hb 2:15; 6:4-6).

Sempre Alerta!