Propaganda do Mal

21/06/2020

O texto abaixo faz parte do conteúdo de uma pregação na Comunidade de Nova Vida em 15 de junho de 2015.

A Propaganda do Mal Pode Mudar os Homens de Bem?

Sabemos que a palavra de Satanás - travestido de serpente - mudou a mentalidade de Eva e a fez pecar contra Deus. Se a mãe da raça humana, em seu estado de "imagem e semelhança" de Deus, foi enganada, imagine o que é possível acontecer à nossa geração, diante da repetição da propaganda do mal: na mídia, na educação, no governo, em todos os lugares, o tempo todo - (1 Co 5:6;15:33; 2 Co 11:3; 1 Pe 5:8). Satanás não investiria pesado na militância da ideologia de gênero, por exemplo, se não fosse possível colher frutos. A Bíblia adverte que "um pouco" de fermento leveda toda a massa e que as más conversações corrompem os bons costumes.

2 Co 6: 14 .. ". que sociedade tem a justiça com a injustiça? ou que comunhão tem a luz com as trevas?"

Analisemos essa questão diante da justiça de Deus.

Há consequências quando damos ouvidos à propaganda do mal? Sim! Não importa se você cometeu o pecado ou teve participação nele. Você será culpado se de algum modo contribuiu com o pecado. O assunto é sério e por isso precisamos tomar muito cuidado.

A respeito dessa conexão de cumplicidade, há dois registros bíblicos que ilustram bem o que pretendemos esclarecer e advertir:

  • O primeiro caso aconteceu por volta do ano de 1.150 a.C. e está registrado no Velho Testamento. Diz o texto que os cidadãos de Siquém deram 800 gramas de prata, tirada do templo de Baal-Berite, para Abimeleque, filho bastardo de Gideão. Com esse recurso financeiro, Abimeleque alugou uma turma de mercenários, com os quais matou todos os setenta filhos de Gideão, exceto o caçula, que conseguiu fugir (Jz 9.4, 5).
  • O outro episódio aconteceu por volta do ano 33 d.C. e está no Novo Testamento. No Evangelho de Mateus, lê-se que os sacerdotes de Jerusalém retiraram do gazofilácio 30 moedas de prata e as entregaram a Judas para que ele traísse o Senhor Jesus (Mt 26.14-16).
Observe que não foram os homens de Siquém que mataram os irmãos (por parte de pai) de Abimeleque, nem foram os sacerdotes do templo de Jerusalém que mataram a Jesus. Todavia, eles contribuíram para que os crimes acontecessem. Isso é cumplicidade, pecado não menos grave do que tirar a vida de alguém com as próprias mãos.

.

A Propaganda do Mal Pode Mudar os Homens de Bem?

O Que a Bíblia Diz Sobre Este Assunto?


A Bíblia diz categoricamente:

Não tome parte nos pecados dos outros (1 Tm 5.22).

É claro que há níveis diferenciados de cumplicidade, mas todos os envolvimentos são formas de cooperação com o mal.

Respondeu-lhe Jesus: Nenhuma autoridade terias sobre mim, se de cima não te fora dado; por isso aquele que me entregou a ti, maior pecado tem. Jo 19:11

I - Cuidado com a cumplicidade

Filhos da Luz Devem Cooperar com a Propaganda das Trevas?

Às vezes a participação do crente é indireta e até sutil. Lembre-se que envolvimento é cumplicidade, não importa se a participação é de 10% ou 100%. Alguém pode ser cúmplice:

  • Tolerando;
  • Aprovando;
  • Cooperando;
  • Contribuindo;
  • Participando da militância das trevas.

Em qualquer um desses casos, o crente não está isento de cumplicidade com as obras das trevas. Por quê? Porque se envolveu de alguma forma com o pecado, tomou parte com as obras das trevas.

A Propaganda do Inferno

A pós-modernidade mantém a velha mentira da antiga Serpente. A estratégia de Satanás é a mesma, do Éden aos nossos dias. A mentira é repetida com nova roupagem e com novas formas de propagação.

O inimigo de nossas almas usa uma ideia nova, diferente, inteligente, convincente... um pensamento atrativo que desperta curiosidade, possibilidades, desejos, sonhos, ambições, independência, autonomia, prazer e poder!

A antiga Serpente usa organizações poderosas, globalistas e instituições comerciais para dizer:

Seja independente. Você pode ser livre e muito feliz. Faça tudo o que quiser, é a sua vida. Não há lei divina, nem autoridade absoluta sobre sua vida. Seu corpo, suas regras. Não há julgamento.

O ponto mais perigoso da estratégia de Satanás nas propagandas comerciais é sujeitar uma questão divina ao julgamento humano.

O Boticário - Desobedeça. Seja você mesmo.

OMO - Sujar faz bem.

TIM - Vivendo sem fronteiras.

Aplle - Pense diferente.

Riachuelo - Namore do seu jeito.

C&A - Tudo lindo e misturado. Misture. Ouse e Divirta-se.

Palavras que são interiorizadas e que passam a formar conceitos, crenças e comportamentos contrários à Palavra de Deus.

Lamentavelmente muitas organizações e empresas aliançadas à militância anti-Deus são patrocinadas indiretamente pelos consumidores cristãos. Ao comprarmos os produtos e serviços dessas instituições estamos colaborando para o fortalecimento das mesmas na luta contra os valores da família, da tradição e do Cristianismo. Liberte-se disso, NÃO seja um patrocinador do inimigo de nossas almas.

II - O que Fazer? -

Diante do mal não podemos ficar neutros ou indiferentes.

Quando o avestruz enterra a cabeça no chão para evitar a realidade desagradável, ele torna-se não apenas bobo em sua atitude, mas um alvo muito fácil e irresistível para o inimigo. Se sua cabeça está enterrada em distrações em relação às batalhas espirituais, você é um alvo irresistível para o inimigo. Há ameaças enganosas que você precisa vê-las para o seu próprio bem.

Então, o que fazer?

A segurança do crente diante da existência e das ameaças da propaganda do mal está em:

1-Sobriedade e Vigilância.

É preciso estar Sempre Alerta - (1 Ts 5:6; 1 Pe 5:8).

Você precisa identificar o que vem do inimigo e fugir de toda aparência do mal.

2-Não Dar lugar ao Diabo (Ef 4;27).

Renunciar o mal. Manter distância (afastar-se do território do inimigo); romper todos os vínculos, efetuar um despojamento do que pertence ao inimigo. Sl 101:3; 1 Ts 5:22; 1 Co 6:12.

Não tenha nada do Diabo e também não permita que o Diabo tenha algo seu

Já não falarei muito convosco, porque vem o príncipe deste mundo, e ele nada tem em mim ( Jo 14:30)

Você precisa tomar cuidado com o uso de seu dinheiro, de seus talentos, dons e de sua conduta, para que você seja livre do sério pecado da cumplicidade. Nada do crente pode estar a serviço das trevas.

3-Resistência

O crente precisa ir muito além de não cometer o mal e de não se envolver com ele. Deus exige que você dificulte o mal, torne-se um obstáculo para a prática do mal, seja um opositor do mal.

Não participem das obras infrutíferas das trevas, antes exponham-nas à luz (Efésios 5.11).

Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha. (Mateus 12:30)

Na luta contra o mal não pode haver terreno neutro

Aqueles que nada fazem contra o mal, na verdade, participam dele por meio do silêncio e da acomodação.

Aqueles que nada fazem contra o mal, na verdade, participam dele por meio do silêncio e da acomodação.

Amado, fé sem obras é como "conhecimento sem a prática" - isso é imputado ao homem como um pecado de omissão.

A transgressão à Lei de Deus acontece de duas formas:

  • Pecado de Omissão - Não fazer o que é da vontade de Deus - Desobediência, independência, insubmissão, desprezo, inércia, acomodação e todas as suas ramificações;
  • Pecado de Comissão - Fazer o que Deus proíbe - Rebelião, desobediência, oposição e todas as suas ramificações.

Na luta contra o mal não pode haver terreno neutro. Aquele que não é por mim é contra mim e aquele que não ajunta comigo, espalha. (Mt 12: 30s).

Diante da propaganda do mal não podemos ficar calados e quietos. É necessário que cada discípulo de Cristo entenda a sua missão de luzeiro no meio de uma sociedade que carece de Deus e que está sendo bombardeada pela desconstrução dos valores e princípios judaico-cristãos.

Lembre-se: a nossa resistência não é pessoal, mas espiritual e ideológica.

Sujeitai-vos, pois, a Deus; mas resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós. Tg 4:7

Sempre Alerta!


O ponto mais decadente de uma análise equivocada é sujeitar uma questão divina ao julgamento humano.